Lojas menores e especializadas podem desbancar grandes redes de supermercado

DATA: 19/11/2019 09:00:00

FONTE: http://revistavarejosa.com.br/lojas-menores-e-especializadas-podem-desbancar-grandes-redes-de-supermercado/

Em tempos em que o e-commerce vem ganhando cada vez mais força e as lojas virtuais já conseguem atender à maioria das necessidades dos clientes, sua loja física precisa ser mais do que apenas um ponto venda. É preciso proporcionar uma experiência que agregue valor para o cliente. Nesse sentido, a tendência da vez é o varejo de nicho.

Durante o 2º Simpósio de Varejo e Shopping, realizado pela Associação Brasileira de Lojistas de Shoppings (Alshop) em Punta Del Este, no Uruguai, a diretora de Varejo e Shopping do Ibope Inteligência, Márcia Sola, apontou a especialização do varejo como uma das cinco principais tendências de consumo que devem se consolidar até 2022. “O futuro é o mercado de nicho, o varejo especializado”, afirmou.

A estratégia do varejo de nicho prioriza o atendimento qualificado ao cliente. Por isso, conhecer profundamente os produtos e realizar uma venda consultiva é fundamental. São as equipes que atuam como especialistas e ajudam o consumidor a realizar a melhor opção de compra que conquistam o público.

Outra tendência que tem tudo a ver com a experiência do cliente em lojas físicas são os minimercados, em que donos e clientes se conhecem pelo nome e chegam até a criar vínculos emocionais. A praticidade, a agilidade e a proximidade geográfica são trunfos tanto das lojas especializadas quanto dos mercadinhos de bairro, que crescem a cada ano. Só no estado de São Paulo, o número de mercadinhos saltou 62,6% em quatro anos – de 13,9 mil em 2014 para 22,6 mil em 2018.

A Ecoville, rede de franquias de produtos de limpeza, soube identificar a oportunidade certa para se beneficiar das duas tendências. “Observando aqueles tradicionais carros de produtos de limpeza que passam pela vizinhança anunciando produtos, notamos que o setor tinha potencial para profissionalização e expansão. Foi então que investimos no negócio de venda porta a porta e, em seguida, nas lojas físicas”, conta Leonardo Castelo, presidente e cofundador da rede. Ele ressalta que entrar no mercado tradicional seria mais difícil: “Se entrássemos no mercado tradicional de venda para supermercados, não duraríamos um dia. As grandes concorrentes quebram as pequenas. Foi aí que vimos que havia um mercado enorme a ser explorado no segmento de venda direta ao consumidor”.

Somente de 2018 para 2019, a rede cresceu 93% com o número de franquias vendidas e possui uma média de 15 inaugurações por mês de novas unidades. Além disso, neste ano, o estande da Ecoville durante a Expo ABF, maior feira de franquias do país, realizada em junho, em São Paulo, recebeu cerca de cinco mil pessoas interessadas em conhecer mais o negócio. Castelo não tem dúvidas de que todo esse sucesso é resultado de um dos diferenciais mais marcantes da loja: o atendimento. “Basta alguns minutos na loja para sentir o porquê de tanto sucesso. Com um atendimento personalizado, os especialistas em limpeza conseguem entender exatamente quais são as necessidades dos clientes, dar orientações completas sobre o uso de determinados produtos, composição e indicações”, conta.

Embora os supermercados sejam grandes centros de consumo que concentram um amplo mix de mercadorias, eles não atendem com a profundidade que o cliente precisa. Já as lojas de nicho disponibilizam um portfólio que está de acordo com as necessidades do consumidor. É o que explica Selma Dias, 56 anos, cliente da Ecoville (Unidade Vila Ré): “Eu gosto muito de comprar na Ecoville, porque tenho um atendimento diferenciado, tenho toda a atenção dos vendedores, eles me ajudam e falam qual é o melhor produto para cada problema que apresento, explicam como usar, como diluir e quais cuidados devo ter, além de sempre ter alguma novidade, coisa que eu adoro! No mercado, não temos essa assistência toda, os produtos só estão nas prateleiras”.

Botão Voltar ao topo
Fechar